Publicado em

COMPANHEIRO MAÇOM: O GRAU INJUSTIÇADO

Os seres vivos têm comumente seus ciclos de vida divididos em três etapas: nascimento, vida e morte. Quando divididos em fases, não é muito diferente: fase infantil, fase adulta, e fase senil.
É claro que cada etapa, cada fase tem sua importância, exercendo papel fundamental num ciclo de vida. Mas se você tivesse que escolher uma etapa da vida, uma fase preferida, qual seria? Creio que quase a totalidade das pessoas optariam pela vida, pela fase adulta.
A Maçonaria Simbólica nada mais é do que um ciclo de vida iniciático, também dividido em três etapas. Enquanto o Grau de Aprendiz simboliza o nascimento, quando o candidato que se encontra nas trevas recebe, enfim, a luz da Maçonaria, o Grau de Mestre simboliza a morte, e todos os ensinamentos que ela envolve. Então, o que seria o Grau de Companheiro, esse grau tantas vezes discriminado? O Grau de Companheiro simboliza a vida, a fase madura, entre o nascimento e a morte!
Mas a cultura que se sobressai no meio maçônico destaca apenas dois momentos importantes na vida de um maçom: quando de sua iniciação, que marca o início de sua senda maçônica, e quando galga o grau de Mestre, alcançando assim sua plenitude de direitos maçônicos. O grau de Companheiro, além de marginalizado, é visto por muitos como um peso, um obstáculo, a fase ruim do desenvolvimento na Maçonaria Simbólica. A situação é agravada ainda mais pelos maçons “esquisotéricos”, que pregam o grau de Companheiro como um grau de indecisões e perigos, abusando da interpretação do número “2” para afirmar que o Grau 02 é arriscado, devendo os membros permanecerem o mínimo de tempo possível como Companheiros. Balela!
É no grau de Companheiro que o maçom realmente aprende a ciência maçônica, passando a trabalhar com novas ferramentas de trabalho. É nesse grau que o maçom desenvolve os cinco sentidos humanos em sua plenitude para, então, aprender a dominar as sete artes e ciências liberais: Gramática, Retórica, Lógica, Aritmética, Geometria, Astronomia e Música. É no grau de Companheiro que o maçom atravessa a escada de 15 degraus e tem acesso à Câmara do Meio.
Talvez, o que falta explicitar a muitos maçons seja algo muito simples, já presente na sabedoria popular: “o importante na vida não é o ponto de partida, nem a chegada, e sim a caminhada”. Em outras palavras, o importante na vida maçônica não é quando se ingressa na Maçonaria ou quando se alcança o grau de Mestre ou o grau 33o. Não são momentos específicos, marcos. O importante é aprender ao máximo em cada grau que se passa e viver a vida pelos preceitos maçônicos. Se não for para ser assim, não há o menor sentido em tudo que fazemos.

34 comentários sobre “COMPANHEIRO MAÇOM: O GRAU INJUSTIÇADO

  1. Apoiado!

    Hoje estou praticamente findando meu trabalho como CM, e convictamente posso dizer que o grau de companheiro deu mais gás ainda no meu anseio por buscar e estudar. Simplesmente encontrei muito do esoterismo de que tanto estudo, além é claro da ciência, virtude, e demais assuntos abordados neste grau. São realmente fundamentais as instruções e lições de companheiro, a começar pela cer.elevação.

    SFU

    R.Guimaraes
    ARLS Jacques DeMolay 33
    Vitória-ES

  2. Existem diferenças gritantes entre culturas, contudo, todos temos que estar aptos a entender cada uma. Devido ao tempo, ou a falta dele, muitos de nós deixamos de lado a boa leitura, uma boa conversa, para nos dedicarmos às futilidades do dia a dia. Precisamos nos ater a coisas realmente interessantes como conhecimento e convivência.
    Obrigado.

  3. Gostei muito da explicação de companheiro

  4. Estou neste Grau e desempenho com fervor minhas atribuições e me dedico aos meus trabalhos.

  5. Conforme está escrito no texto acima:”O importante não é o ponto de partida,nem a chegada e sim a caminhada…” sou COMP.’. e cada Grau nos degraus da escada de Jacó tem sua importância,T.F.A

    Oriente de São Gonçalo – R.J
    REAA – Aug.’.Resp.’.Grand.’.Benf.’.Ord.’.Loj.’.Simb.’.Monte Ararat

  6. Nós Companheiros Maçons, trilhamos o nosso objetivo, e temos apenas de nos esperlharmos no caminho correto o qual nos leve ao último GRAU, e se a cada Grau, fizermos corretamente o nosso trabalho jamais seremos INJUSTIÇADOS e que o Grande Arquiteto do Universo, ilumine nós Companheiros Maçons e toda familia. T.'.F.'.A.'.

  7. Depois que chegarem a MM.'. sentiram saudades do tempo que eram Aap.'.
    S.'.S.'.S.'.

  8. O Grau de C.'.M.'. é transitório e não deve confundir os IIr.'., viva-o intensamente, aproveitem para participar do maior numero de sessões possíveis. Leiam o ritual e entenderão muitas coisas que estão por vir. TFA

  9. estou CHEGANDO AGORA AO 2º GRAU. Gostaria de saber dos Ir.: mais adiantado, porque o nome de Grau INJUSTIÇADO. aguardo respostas.
    T.: F.: A.:
    E de qual cidades são vcs??? e qual suas lojas???

    Kennyo Ismail – Meu Ir.´. José Carlos, a razão do título desse post ter sido do “Grau Injustiçado” está no próprio texto publicado. Basta ler o texto que compreenderá. Minhas informações maçônicas estão no menu da página principal, no tópico “O Autor”.

  10. Este 2º grau é um dos mais comprometidos com a maçonaria, haja visto que ele ja não é mais apenas um iniciado, agora ele deve começar a estudar e planejar a sua perfeição, visando atingir o 3º grau.

  11. muito booooom, parabéns pelo nosso dia,aprendizes, companheiros e mestres

  12. Manaus, AM,262229112013,EV.

    Meus amados IIr:. S:.F:.U:.

    Que o G:.A:.D:.U:. proteja e traga sabedoria a todos os IIr:. chego ao 2ºGr:. sinto já saudades do Gr:. APr:. más estou de pé e a ordem e com disposição mais ainda para ir em busca do aprendizado, desempenho meu trabalho com muita vibração porque a MMaç:. me da essa energia e alegria de viver.
    Que o G:.A:.D:.U:. possa irradiar prosperidade a todos os IIr:.
    T:. F:. A:.
    Jorge A M Moreira
    A:. R:. L:. J:. Concordia da Amazônia

  13. Otimo trabalho, gostei muito

  14. Estou chegando ao grau 2 espero que seja
    novos aprendizados

  15. Parabéns pelo trabalho, muito esclarecedor.

  16. sou Obreiro da loja fraternidade universal 08linhare es e sou CM e sou muito grato pelos meus trabalhos,nao me tratam diferente por ser CM.

  17. Sou Membro da A.’. R.’.L.’.S.’. Tiradentes II, nº 257 – Or.’. de Cafelândia-SP. M.’.M.’., Cavaleiro do Oriente Grau 15. De todos os Gr.’., o mais simbólico e rico é o de companheiro. Fellowcraft, como era chamado na antiguidade

  18. Prezado Ir Kennyo,

    Interessante citar a relação direta que o grau de Companheiro tem com Real Arco, os MdM’s que lerem entenderão!

    Fraterno Abraço

  19. Muito bom deu para aprender um pouco mais …

  20. Meus irmãos,estou entrando agora no grau 2,e gostei do trabalho apresentado,gostaria de dividir mais estudos sobre o grau,TFA

  21. Fui esposa de um iniciante da maçonaria, queria entender, como um maçom deve ser comportar pois o meu ex não soube respeitar o casamento, como a maçonaria vê isso, será que é correto para vcs a parti daí comecei a me interessar pelo assunto.

    Kennyo Ismail – Débora, sendo a maçonaria “um belo sistema de moralidade”, creio que fica mais do que claro sua posição quanto a qualquer desvio ético.

  22. sou A.M. estou lutanto para entrar no grau 2

  23. ser maçom é um caminho, muitos tentam, poucos chegam…

    1. É, poucos chegam… às TREVAS.
      Se soubessem o que é a maçonaria no fundo no fundo…

  24. pedi o meu aumento de salario agora, e estou visitando para aprender TFA.

  25. Gostaria de saber onde é falado no ritual ou literatura do grau sobre esta escada de 15 degraus que nos conduz à câmara do meio.

    Kennyo Ismail – Nos rituais e na literatura do grau. Se você for adepto do REAA das GLs ou do Emulação de qualquer obediência, basta olhar pro painel do grau.

  26. Gostei muito do texto. Explicativo e com clareza. T.·.F.·.A

  27. https://goo.gl/images/AfphLS
    Segue uma ilustração pra complementar!
    Excelente trabalho meu Ir.’.!
    TFA.

  28. Querido Irmão Kennyo: sei do vosso currículo e, acredito, que você seja o maior conhecedor de maçonaria no Brasil. Se fosse para eleger três, o colocaria ao lado dos Irmãos João Guilherme Ribeiro e Zé Rodrix. Contudo, permita discordar veementemente de uma frase posta no seu texto.

    Eu também acho o Grau 02 o mais rico de todos, quiçá da Maçonaria Simbólica. Contudo, o hiperbolismo utilizado no trecho que segue adiante me causou espécie:

    “É no grau de Companheiro que o maçom realmente aprende a ciência maçônica, passando a trabalhar com novas ferramentas de trabalho. É nesse grau que o maçom desenvolve os cinco sentidos humanos em sua plenitude para, então, aprender a dominar as sete artes e ciências liberais: Gramática, Retórica, Lógica, Aritmética, Geometria, Astronomia e Música. É no grau de Companheiro que o maçom atravessa a escada de 15 degraus e tem acesso à Câmara do Meio.”.

    Quanto a aprender a ciência maçônica e desenvolver os cinco sentidos na sua plenitude eu não pretendo comentar, embora já seja algo utópico, mas “DOMINAR” as sete artes e ciências liberais passou disso para se dirigir ao caminho do ufanismo exacerbado ao extremo!

    Estamos falando aqui de ramos da ciência que talvez ninguém tenha conseguido dominar apenas um deles, agora dizer que em 5 meses (ou mais um pouco) iremos “DOMINAR” essas áreas do conhecimento é iludir os Aprendizes, frustrar os Companheiros e fazer estrebuchar os Mestres!

    Se aceitar minha humilde opinião, eu faria uma retificação, dizendo que nesse grau você tem acesso, ou ainda, as primeiras impressões dessas áreas do conhecimento.

    Obrigado.

    Kennyo Ismail – Meu Irmão Cassiano, “aprender a “dominar””, que te causou espécie, é no sentido que o dicionário nos traz e permite de: aprender a “conhecer e saber empregar”; o que é próprio das “Ars”, termo então usado para essas ciências aplicadas. Ainda, isso é SIMBÓLICO, como quase tudo na Maçonaria. Tão simbólico como o outro trecho da mesma citação: “passando a trabalhar com novas ferramentas”, que não o incomodou. Literalmente, não damos nem acesso a essas ciências, pois basicamente apenas as mencionamos. Assim como literalmente não colocamos os irmãos para trabalhar com ferramentas em nenhuma obra de construção civil. Tudo é simbólico e dentro de um contexto. Como exemplo, há outra escada no REAA, em um de seus altos graus, cujo topo remete à divisa NE PLUS ULTRA, que pode ser entendido como NADA MAIS ALÉM. Mas, como se sabe, há mais além, seja em graus, seja em moral, seja em conhecimento, seja espiritualmente, etc. Seria também um “ufanismo exacerbado ao extremo”? Ou, se não for levado ao pé da letra, é possível entender seu uso simbólico no contexto em que foi empregado? De todo modo, agradeço seu comentário e opinião compartilhada.

  29. Interessante essa analogia com os ciclos de vida de um homem. Estou aprovado para receber aumento de salário e passar para C M. Até então não sabia porque esse ciclo maçônico se demostra ser mais curto e pouco falado. Acho que entendi um pouco sobre esse mistério, e acho também que nos que estamos entrando como CM devemos nos esforçar para mostrar a importância que esse Grau tem em nossas estrada.

  30. vou apresentar como trabalho na quinta feira, em minha loja LUZ E LIBERDADE de Morrinhos/GO.
    tudo justo e perfeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *