Publicado em

LEO TAXIL & A ANTIMAÇONARIA

Marie Joseph Gabriel Antoine Jogand Pagès nasceu em Marselha, França, em 1854. Aos 25 anos de idade, ele resolveu adotar o pseudônimo de Leo Taxil e aproveitar o sentimento anti-católico que predominava na Europa na época para ganhar uma grana. Começou então a produzir panfletos e histórias pornográficas contra a Igreja Católica. Foi um sucesso. Com 27 anos, Leo Taxil ingressou em uma Loja Maçônica, mas logo foi expulso, ainda como Aprendiz. A expulsão deveu-se pelo mesmo ter sido condenado em processos de plágio.

Aparentemente irritado por ter sido expulso, e necessitando produzir conteúdos diferentes que evitassem os processos judiciais, Taxil não teve dúvidas em eleger uma nova vítima para seus ataques: a Maçonaria. Em 1885 ele “converteu-se” ao catolicismo começou a publicar seu conteúdo anti-maçônico: Os Irmãos Três-Pontos, O Anti-Cristo e a Origem da Maçonaria, O Culto do Grande Arquiteto, os Assassinos Maçônicos.

Não demorou para que Taxil se tornasse o queridinho da Igreja Católica, chegando ao ponto de ser convidado para uma audiência privada com o Papa Leão XII. Um bispo da Igreja nos EUA reportou-se ao Papa, denunciando as obras de Taxil como falsas. Porém, o Papa preferiu acreditar em Taxil do que em um de seus bispos. Por ironia do destino, sua velha inimiga e perseguidora passava a idolatrá-lo. O próprio Papa declarou-se seu fã e pediu por mais livros contra a Maçonaria. Uma situação no mínimo hilária, para não se dizer absurda.

Leo Taxil aproveitou que Albert Pike havia falecido em 1891, e por isso não poderia se defender, para nomeá-lo como uma espécie de “Papa Luciferiano”, Sumo Pontífice da Maçonaria Universal, a qual ele considerava 100% satânica. Taxil chegou a ponto de escrever que Pike reunia-se com Lúcifer toda sexta-feira, às 3h da tarde.

Após fazer muito dinheiro com suas obras antimaçônicas, contando com o apoio e, muitas vezes, até o patrocínio da Igreja Católica, Leo Taxil resolveu dar o seu “tapa de luva”. Em 19 de Abril de 1897, ele alugou um auditório em Paris e convidou os maiores intelectuais franceses da época para assistirem a coletiva de imprensa que ele iria realizar. Na presença de notáveis pensadores, de líderes católicos e da imprensa, Taxil soltou a bomba: tudo que ele havia escrito sobre a Maçonaria não passava de mentiras. Sua real intenção era mostrar como a Igreja Católica, que havia elegido ele como arqui-inimigo, era patética a ponto de passar a idolatrá-lo, e como o Santo Padre, o Papa em pessoa, de infalível não tinha nada. Além disso, ele queria ganhar um bom dinheiro à custa da Igreja e de seus fanáticos. Durante a coletiva, as gargalhadas dos intelectuais disputavam com os gritos de raivas dos líderes católicos. Sua confissão, de mais de 30 páginas, foi publicada nos principais jornais europeus da época.

Apesar de mais de 100 anos depois da confissão pública de suas mentiras, suas obras antimaçônicas continuam sendo citadas como referência em novas obras fanáticas e ignorantes que atacam a Maçonaria, até mesmo por integrantes da Igreja Católica, a qual foi publicamente ridicularizada por Taxil, o responsável por uma das maiores vergonhas que um Papa já passou.

9 comentários sobre “LEO TAXIL & A ANTIMAÇONARIA

  1. Essa pegadinha do Leo Taxil é considerada a grande piada do século dezenove. Penso que muito do preconceito contra a Maçonaria, até hoje, é reminiscência do que ele escreveu, em especial esse negócio do bode preto. Não sei se você conhece, segue link da página de um dos seus livros, veja a deturpação que ele faz do Baphomet de Eliphas Levi:
    http://www.flickr.com/photos/double-m2/4389377324/

    Abraço, e mais uma vez parabéns pelos artigos.

    Vicente Alberto

  2. Como sempre você foi impecavel no artigo, seria interessante se você conseguisse postar o texto de 30 paginas ( ou as partes principais ) onde ele confessa que suas obras são apenas fruto de sua imaginação para ganhar dinheiro em cima da igreja e seu seguidores ou alguma noticia dos jornais da epoca relatando o fato, no mais como sempre ESCLARECEDOR e BRILHANTE !!!

    Abraços

    Kennyo Ismail – Estou primando por textos curtos aqui no blog, mas tenho extenso material sobre o assunto. Quem quiser, mande-me um e-mail em pvt que terei prazer em compartilhá-lo.

    1. Eu gostaria de receber mais material sobre Leo Taxil. Acho interessante saber mais detalhes da vida do referido sujeito. Obrigado!

  3. Parabéns meu Ir.’.
    Um texto muito importante para esclarecer todas as dúvidas sobre quem realmente foi Leo Taxil.
    Tenho muito interesse em receber os arquivos.
    Apesar de solicitar que seja em pvt, não quero correr o risco que meu e-mail siga para o spam e por isso posto-o aqui mesmo: frater_mater@hotmail.com

    T.’.F.’.A.’.

  4. Boa noite.

    Interessante. fato desconhecido de praticamente todos. Gostaria de receber o texto original da confissão de Leo Taxil. Se for possível agradeço.

    Rtt.

  5. Ir.: Gostaria de saber mais sobre este taxil. E-mail para material completo. Ohbreis@yahoo.com.br TFA

  6. Leo Taxil também foi quem fez associação de bafome a maçonaria, poderia me enviar ou dar algum esclarecimento a esse repeito. Fraternal Abraço.

  7. Boa noite meu Ir ∴ gostaria de saber se pode me agraciar com os textos de confissão de Léo Taxil, pois me interesso pelo assunto e gostaria de conhecer melhor vos agradeço nobre Ir ∴

  8. Gostaria de receber esse material mais detalhado sobre a vida de Leo Taxil, a fim de preparar uma palestra sobre o tema!
    Desde já agradeço

    Saulo Costa
    saulormcosta@gmail.com

    Kennyo Ismail – Saulo, sugiro que pesquise na pasta “Maçonaria e Religião” da biblioteca digital da CMSB, que reúne mais de 20 títulos sobre o tema: http://cmsb.org.br/biblioteca/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *