Publicado em

ESQUADRANDO A PUBLICAÇÃO “MAÇONARIA de A a Z”

Recentemente o portal “Terra”, em sua área sobre esoterismo, publicou um infográfico intitulado “Maçonaria de A a Z”, de autoria de Monica Buonfiglio. Apesar da iniciativa louvável, algumas informações contidas no material estão erradas:
A – a acácia não representa a inocência, e sim a imortalidade da alma.
B – a coluna Boaz nem sempre é na esquerda. Depende do rito. Já no caso do “bode”, esse costume do povo cochichar os pecados ao bode nunca existiu. Era o Sumo Sacerdote de Israel que, uma vez por ano, confessava os pecados do povo a um bode, o qual era enviado ao deserto para morrer, enquanto outro bode era sacrificado no templo. Entretanto, isso nada tem com a relação Bode & Maçonaria.
C – a Coluna do Templo de Salomão não se chamava Joab, e sim Jaquim. A corda do teto não tem 12 nós, e sim 81. Também não está presente em todos os ritos.
E – a estátua da liberdade não representa a deusa Sophia, e sim Marianne.
G – os três primeiros graus não são “obrigatórios”. Isso não existe. O mais adequado seria dizer que eles são “comuns” a todos os ritos.
H – o Hino não é sempre tocado na abertura dos trabalhos. E não é em todos os Ritos e Obediências que a bandeira fica na entrada do templo, pelo contrário.
J – Jabulon não é nome de Deus na Maçonaria que, de forma geral, O chama de “Grande Arquiteto do Universo”.
L – O recebimento dos dois pares de luvas não está presente em todos os ritos.
M – malhete e maço são coisas completamente diferentes.
O – Os ossos e crânio não estão presentes na iniciação em todos os ritos.
P – o termo “Pedreiros Livres” não era porque eram homens livres de pensamento. O termo era usado porque eram profissionais com liberdade para viajarem e desempenharem suas funções.
R – Ser casado não é um requisito para ingressar na Maçonaria. Nem todas as Lojas têm reuniões semanais, algumas são quinzenais ou até mensais.  Na lista dos ritos, esqueceram do Rito Brasileiro e do Ritual de Emulação, também praticados no Brasil. Além disso, a Maçonaria Universal não se restringe apenas a esses, pois há dezenas de outros ritos e rituais que, apesar de não serem praticados pela Maçonaria Regular Brasileira, são praticados em outros países.
U – a letra U não é sagrada pros maçons. Se tivesse que destacar uma letra, com certeza seria a “G”.
X – não é em todos os ritos que os templos têm pavimento mosaico.
Y – o rito de York foi fundado nos EUA em 1797, e não em 1799.
Z – nem todos os templos têm as colunas zodiacais.

12 comentários sobre “ESQUADRANDO A PUBLICAÇÃO “MAÇONARIA de A a Z”

  1. Bem inapropriada essa matéria do Terra.

  2. Essa Mônica Buonfiglio gosta de escrever sobre o que não sabe! Metida a entendedora de tudo sempre dá mancada.

  3. Mas as mídias estão povoadíssimas destas coisas… Ledo engano de quem acredita piamente nas informações divulgadas…Pena, o certo mesmo é buscar as fontes fidedignas. Vamos ler meu povo!Hoje literatura de qualidade sobre a Marçonaria é tão acessível!Inclusive aqui neste blog! excelente post…

  4. Eh porque o Terra está falindo e o site vai fechar. já fiz uma matéria sobre isso.

  5. Rodrigo, Renato, AManda, AudaZ23, obrigado pelos comentários. Sabemos que há muitos Aprendizes acompanhando o blog, então o texto veio principalmente para alertá-los que aquele conteúdo não é uma fonte confiável de informações sobre Maçonaria.

  6. Valeu a informação, justamente porque a literatura é vasta e nem sempre com informações confiáveis.

  7. Boa noite,
    poderia me mandar mais informações a respeito da diferença de amalhete e maço.

    TFA
    Edson Ismael

  8. Meu Irmão Edson,
    Maço é um martelo de madeira usado para trabalhar em pedra, também chamado de malho.
    Já malhete é o "martelo do juíz", usado como símbolo de autoridade e condução dos trabalhos.
    Enquanto o maço é instrumento braçal, o malhete é instrumento de som, pois sua única finalidade é de sinalização sonora. Enquanto o maço está ligado à Força, o malhete está ligado à Sabedoria.

    TFA,
    Kennyo Ismail

  9. Kennyo pode explicar "á no caso do “bode”, esse costume do povo cochichar os pecados ao bode nunca existiu."
    ??

  10. Idelfonso,
    Há um texto aqui no blog mesmo tratando especificamente disso e com comentário complementar. O título é "O bode & a maçonaria". Obrigado.

  11. Que sejamos justos e retos e que não tiremos os olhos dos nossos umbigos.

  12. FOI MUITO GRATEFICANTE SABER O BASICO CARO AMIGO, VC TERIA CORAGEM DE FALAR SOBRE O CAVALEIRO E ASERPENTE DE BROZE, TENHA UMA BOA NOITE CUIDADO COM O BODE ELE PODE TE VISITAR, ESTOU BRICANDO BOA NOITE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *