Publicado em

DeMolay, Maçonaria e inversão de valores

Desde a cisão da Ordem DeMolay brasileira, em 2004, tem-se um senso comum no meio maçônico de que, infelizmente, a Maçonaria brasileira havia levado sua cultura de divisão e rivalidade à Ordem DeMolay. A partir de então, o grande desafio era prevenir para que os jovens DeMolays não aprendessem a odiar seus pares do “outro Supremo”, como ocorreu entre boa parcela da maçonaria brasileira. Infelizmente, perdemos essa batalha. A hostilidade típica de alguns maçons brasileiros com base em regularidade, reconhecimento, antiguidade ou rito, passou rapidamente a ser refletida entre jovens DeMolays com base em questões ou desculpas similares.

Assim, a esperança maçônica de que aqueles jovens DeMolays, que teoricamente não se apegavam a tais diferenças maçônicas e contendas do passado, iriam facilmente vencê-las quando assumissem a liderança das obediências simbólicas e de altos graus nos próximos anos, foi se esvaindo a cada menção a “pirulito” ou ofensa escrita em rede social. E tal esperança acabou por desaparecer por completo, quando da institucionalização de tais ataques no meio DeMolay, como, por exemplo, pelo envio de pirulitos entre encomendas do SCODB, oficialmente ensinando seus jovens a cultura da divisão e da rivalidade.

O que talvez nunca se esperaria é que essa hostilidade ultrapassasse as fronteiras da própria Ordem DeMolay e alcançasse sua patrocinadora exclusiva: a Maçonaria. O que se vê nesse vídeo é o representante maior do SCODB, Diogo Pigozzi Bazzanella, um maçom do GOB-SC, atacando a Maçonaria Brasileira e chamando suas lideranças de covardes, enquanto é ladeado e apoiado por seu Adjunto, Guilherme Santos, um maçom do GOMG.

Essa conduta de incitar o ódio de jovens DeMolays contra instituições maçônicas regulares e suas lideranças, além do pior exemplo que um Sênior DeMolay e maçom pode dar àquelas centenas de jovens ali presentes, é totalmente antimaçônica e também não condiz com as virtudes ensinadas na Ordem DeMolay.

Não se deve escarrar no prato que come. Essa não pode ser a lição a ser ensinada aos nossos jovens. A Ordem DeMolay deveria unir a Maçonaria brasileira, não dividi-la ainda mais e atacá-la de forma tão vil. Esse discurso ofensivo de ódio é o que a Maçonaria e, consequentemente, a Ordem DeMolay sempre combateram e devem continuar a combater, principalmente internamente.

6 comentários sobre “DeMolay, Maçonaria e inversão de valores

  1. Muito triste em ver o caminho que estão tomando, mas a verdade é que muitos líderes que eram pra ser exemplo, se tornou um grande transtorno dentro da ordem, digo isso não somente para os DeMolays, mas também para alguns irmãos.

  2. Vergonhoso ouvir isso de uma liderança nacional que, pelo posto que ocupa, deveria dar lições de diplomacia e ajudar a construir pontes, e não erguer muros.

    Bazzanella teve uma incrível oportunidade, mas tropeçou nos seus próprios erros e na euforia, esquecendo de lado as sublimes lições de nossa ordem.

    Triste.

    1. Com todo respeito, estude, procure saber oque aconteceu em seus devidos fatos.

  3. Estas atitudes influenciam os jovens a demonstrar ações de auto independência em relação a Maçonaria patrocinadora da Ordem DeMolay, principalmente após a cisão.

  4. Engraçado, até semana passa o dono do blog tirava sarro e falava da sua preocupação com o evento do SCODB, provocando os membros do conselho adverso, com matéria publicada neste mesmo pasquim, fazendo previsões catastróficas e apocalípticas e bradando apoios recebidos de potências e agora vem com a maior cara lavada falar em paz e harmonia? Quem quer paz e harmonia não semeia discórdia. O autor do texto poderia, além de tomar remédio para a memória, estudar a Terceira Lei de Newton (ou princípio da ação e reação): “A toda ação sempre há uma reação de mesma intensidade e direção, porém sentidos opostos.”

    Kennyo Ismail – Não tiro sarro ou provoco, cito fatos e faço análises. Infelizmente, tem gente que, quando não concorda com uma análise, apela. As previsões estão de pé! É um erro pensar que desejar paz e harmonia seja incompatível com discordar. Deve-se celebrar a diversidade de ideias, opiniões e pensamentos. Se você está dizendo, com o emprego distorcido da Terceira Lei de Newton, que o GMN do SCODB fez um discurso ofensivo à toda Maçonaria brasileira em resposta a um post deste blog, ficamos lisonjeados, mas sinto dizer que, além da interpretação errada da ação, a reação não foi na mesma intensidade, nem na mesma direção e muito menos em sentido oposto.

    1. Obviamente não é contra este blog e sim contra toda a conduta praticada por homens “livres e de bons costumes” que chantageiam e coagem adolescentes desrespeitando o livre arbítrio para impor suas próprias vontades… A postura deste blog é apenas um grão de mostarda na engrenagem útil a todo este processo de ódio, exatamente por isso o espanto em pedido de paz e harmonia quando nunca se tem uma palavra livre e imparcial ou ao menos acalentadora ou acolhedora, mas sim sempre insinuações, acusações, sarcasmos e ironias camufladas.

      Quanto a ser simples descrevedor de fatos, sempre é uma postura muito conveniente. Os iranianos também afirmam que apenas descrevem o fato de o genocídio nunca ter existido e os norte coreanos apenas descrevem que o líder deles tem poderes mágicos e nasceu nas montanhas, os soldados nazistas apenas seguiam ordens, os petistas descrevem o processo do Lula como engodo, os exemplos são variados.

      Você pode até acreditar nas mentiras que conta, mas não pode querer que todos acreditem. Não falo mentira no sentido doloso e comum, mas em termos de auto enganação mesmo. Você até pode trocar o nome das coisas e chamar um lápis de gato, difícil é fazê-lo miar.

      No seu infeliz (para dizer o mínimo) texto sobre o CNOD do SCODB, bradou aos quatro ventos o apoio do GOMG, de GL’s e agora vê problema no apoio recebido pelo “outro lado”. Qual a diferença? Aos amigos tudo, aos inimigos a lei, esta é sua lógica? Ou você estava novamente apenas “descrevendo”? Difícil realmente entender a lógica de quem fala, fala, fala e depois diz não ter dito nada…

      Kennyo Ismail –
      1 – Não pedi paz e harmonia no artigo. Você deve ter lido errado ou mesmo “acreditar na mentira que está contando” de que pedi paz e harmonia, “em termos de auto enganação mesmo”, mas, por sorte, qualquer um pode conferir que não pedi. Você espantou-se desnecessariamente, bastava ler corretamente.
      2 – Da mesma forma que você viu um pedido de paz e harmonia onde não tem, viu insinuações, acusações, sarcasmos e ironias onde não tem. Estou cheio de amigos no SCODB. Você, infelizmente, só entende o que quer. Lê “lápis” e entende “gato miando”.
      3 – Também não vi e muito menos descrevi problema em “apoio recebido pelo “outro lado””. Isso está escrito onde? E qual a diferença? Nenhuma! É apenas mais uma vez a sua lógica de dizer que escrevi o que todo mundo pode ver que não está escrito. “Difícil realmente entender a sua lógica de que escrevi, escrevi escrevi e não mostrar onde está escrito”… Sabe quem segue essa sua lógica de total sofisma? Esses iranianos, norte coreanos, nazistas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *