Publicado em

Instalado o Capítulo “Companheirismo Bahiano” de MRA

GLEBNeste último final de semana, dias 04 e 05 de Maio, foi instalado na Sede da Grande Loja do Estado da Bahia o Capítulo “Companheirismo Bahiano” Nº62 de Maçons do Real Arco. Ao todo, 34 Irmãos Mestres Maçons da GLEB, entre eles muitos Veneráveis Mestres e membros de sua Alta Administração, passaram pelas cerimônias dos 04 graus que compõem o Real Arco norte-americano e participaram no domingo da Instalação do Capítulo, na qual tomou posse como Sumo Sacerdote o Companheiro Santo Ádamo. Esse importante evento na história da Maçonaria Baiana teve início na sexta-feira, dia 03 de Maio, quando o Sereníssimo Grão Mestre da GLEB, Mui Respeitável Irmão Jair Tércio, recebeu em seu gabinete a comitiva de autoridades do Real Arco, ratificando a disponibilidade das instalações da GLEB para a realização das cerimônias, justificando sua ausência durante a programação, e oferecendo o apoio de sua administração para a expansão do Rito de York em solo baiano. REAL ARCO SALVADORAs cerimônias dos graus foram realizadas por equipe composta por companheiros de Sergipe, Paraíba, Rio de Janeiro e Brasília e a instalação foi presidida pelo Grande Sumo Sacerdote do Real Arco no Brasil, Mui Excelente Companheiro Luiz Sérgio Rodrigues de Jesus, auxiliado pelo Grande Mestre Adjunto da Maçonaria Críptica do Brasil, Mui Ilustre Companheiro Kennyo Ismail. Registrou-se também a presença de autoridades maçônicas prestigiando o evento, como a do Irmão Miguel Marinho Neto, Grande Tesoureiro do Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil; do Irmão José Henrique Pereira Prata, Grão-Mestre Adjunto da Grande Loja Maçônica do Estado de Sergipe; e do Irmão Onildo Silva Almeida Filho, Grão-Mestre Adjunto do Grande Oriente da Paraíba. Parabéns a todos que participaram dessa grande iniciativa. Esperamos que o Capítulo “Companheirismo Bahiano” seja o primeiro de muitos passos na Jornada do Rito de York na abençoada Bahia.

9 comentários sobre “Instalado o Capítulo “Companheirismo Bahiano” de MRA

  1. Tem que informar também que dos 34 membros iniciados 22 são DeMolays Seniores!

    1. E é apenas o começo…
      No CONBODE tem mais…

  2. Kennyo, tenho a certeza que o Real Arco será expandido na Bahia agora; Ví e participei da emoção na instalação do Cap:. Companheirismo Baiano Nº62 e o nosso grupo de Sergipe também se emocionou com aqueles aguerridos Companheiros, onde, Vc e o Gr:.S:.Sac:. Luiz Sergio foram os maiores incentivadores, junto com o Gr:. Tes:. Miguel Marinho. Todos estão de parabéns! Um TFA. Herminio Gomes- Capitulo Aperipê Nº 59 – Sergipe

  3. Somados os 8 cargos da diretoria do GCE + 10 Oficiais Executivos temos 18 mestres maçons que coordenam a Ordem DeMolay do estado. Destes, 15 foram Exaltados ao Grau de MRA nessa oportunidade!

    A DeMolay Bahia é REAL ARCO!

    BROCAÇÃO!

    1. Três PMCE, Três PGME (ou Adjunto), 15 Chevaliers…

  4. Além de lideranças Demolay's Não podemos deixar de falar dos nossos irmão VM e de icones da Maçonaria Bahiana e Brasileira!!! Um evento que marcou a história da Maçonaria. E ainda teremos mais capitulos dessa grande Jornada. Parabéns aos que apoiaram e acreditaram. Parabéns aos companheiros que estão a procura de mais conhecimento como ferramenta de transformação ao bem da humanidade

  5. Meus parabéns a todos os Companheiros. Espero em breve podermos comemorar o mesmo feito em Terras Boavistenses

  6. Há algum tempo, com bastante atenção leio este site – achei-o excelente, desmistifica a maçonaria do folclore; todavia, em algumas matérias, (as históricas), fala da Grande Mãe (EUA) e em outras, da cultura judaica. Pois bem, gosto de assuntos geopolíticos, e gostaria de saber qual a posição deste site ao ver Israel humilhando, escravizando e esbulhando a terra dos palestinos, criando guerras e o caos no oriente médio, possuidor de mais de duas centenas de bombas atômicas clandestinas (sem inspeção da AIEA), ameaçando todo dia atacar o Irã, tomou as colinas de Golã da Síria, não respeita nem obedece as sanções da ONU, é contra a justa criação do Estado da Palestina, etc., tudo isso com o apoio incondicional dos EUA, que vive e mantem-se da indústria armamentista. Como a maçonaria vê essas aberrações desses dois países?

    Kennyo Ismail – Prezado Marco Aurélio, o objetivo da Maçonaria é fazer feliz a humanidade. Por ser uma instituição com aspirações universais, é proibido em nossas Lojas a discussão de questões religiosas sectárias e questões de política governamental ou partidária. Meu segundo nome é Mahmud, e sou neto de palestino. É claro que tenho minhas opiniões pessoais, assim como todos os maçons devem ter. Porém, não há posição oficial da Maçonaria sobre tais questões, até porque ninguém pode falar em nome dela. O que posso garantir é que, tanto na Maçonaria Brasileira, como na Americana e na Israelense, cristãos, judeus e muçulmanos chamam-se uns aos outros de Irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *