Publicado em

KOBE BRYANT NÃO É MAÇOM

Ele era uma lenda viva nos Lakers e considerado um GADU do basquete, mas infelizmente não era maçom. Já o colega aposentado, Shaquille O’Neal, é maçom, membro da Grande Loja Prince Hall de Massachusetts.

É aquela velha história: sempre que um famoso falece, ele é transformado em maçom. Foi o mesmo com Mandela, por exemplo. Geralmente isso ocorre por duas vias: ou fanáticos religiosos aproveitam para transformá-lo em maçom, illuminati, satanista, apontando uma morte trágica ou dolorosa como punição divina; ou membros ansiosos para dizer aos outros que são irmãos de famosos precipitam-se em afirmar isso. Em ambos os casos, há o proveito, intencional ou não, do fato de que mortos não desmentem boatos.

No meio maçônico, circulou até o nome da Loja na qual Kobe supostamente teria sido iniciado e seria um membro: Winchester, de Indiana. Essa Loja realmente existe, tem o número distintivo 56 na Grande Loja de Indiana e está situada na cidade de Winchester, daquele estado. Essa cidade tem menos de cinco mil habitantes e Kobe nunca morou nela, nem mesmo em Indiana.

Acontece que essa loja criou um website, em 2016, daqueles bem feios, que não tinham nem domínio próprio. E, entre as dezenas de páginas do site, há aquela fatídica página de “maçons famosos”, que uma página sempre copia de outra sem verificar as informações, com mais de uma centena de nomes. E, entre tantos, muitos verdadeiros como George Washington e Benjamin Franklin, há alguns não maçons listados, como Albert Einstein, Karl Marx, Stalin e… Kobe Bryant.

Provavelmente, um irmão brasileiro que não domina a língua inglesa acessou esse website, viu no cabeçalho “Winchester F & A Masonic Lodge No. 56” e o nome de Kobe na lista, bastando para afirmar que ele era membro dessa loja, apesar de nenhum dos nomes da lista ser da Loja, e alguns nem serem maçons.

E antes que alguém comente que viu um comentário de Shaquille chamando Kobe de “irmão”, saiba que é muito comum nos EUA chamar os amigos mais próximos de irmão, assim como os colegas que serviram contigo nas forças armadas e os membros de um grupo ou comunidade a que pertença. O termo “irmão” não é exclusivo da Maçonaria.

7 comentários sobre “KOBE BRYANT NÃO É MAÇOM

  1. Excelente

  2. Sem mais!!!

  3. Lamentável esta onda de notícias falsas.

  4. Perfeito !

  5. Equivocado. Shaq chama em sua postagem a filha de Kobe de sobrinha. Não é comum nos EUA referir-se a filha ou filho de um amigo não maçom como sobrinha ou sobrinho. Ainda mais quando um dos amigos é maçom. Por outro lado, este é um tratamento comum entre maçons e filhos ou filhas de maçons. Se Kobe não é maçom, como afirmas, então Shaquille O’Neal usou uma forma de tratamento equivocada. E, com o devido respeito, entre sua argumentação e a palavra de um maçom, fico com a segunda. Mais um ponto equivocado, o fato de a página misturar maçons famosos com não maçons famosos (alguns dos quais você citou) não é garantia de Kobe não tenha sido maçom. Ele poderia estar no grupo dos maçons e não dos não maçons. Assim, esta conclusão de que Kobe não é maçom é tão apressada quanto garantir que ele era. Donde se conclui, que não é possível desacreditar, a priori e de forma apressada, que Shaquille O’Neal não tratou Kobe como um irmão maçom. É imprudente garantir que Kobe não era maçom. Assim como garantir que era. O único fato real é que Shaq tratou Kobe como irmão e sua filha como sobrinha. Enfim, tratou Kobe maçonicamente.

    Kennyo Ismail – Seu argumento seria válido se fosse no Brasil. Nos EUA não há o costume dos maçons chamarem os filhos de outros maçons de sobrinhos, e os filhos de maçons chamarem os maçons de tios, como no Brasil. Logo, seu único argumento para a possibilidade de Kobe ser maçom é inválido. Ainda, ao contrário do que afirmou, há o costume sim de filhos chamarem os melhores amigos do pai de tios. Além disso, maçom tem que ser membro de uma Loja e uma Grande Loja. Não tem como ser “avulso”. E nenhuma manifestou a perda daquele que supostamente seria seu membro mais ilustre. Assim como o Shaq, se Kobe fosse maçom, haveria fotos dele de avental e todos saberíamos disso antes de sua trágica morte. Por fim, para ingressar na Ordem tem que ter a “ficha limpa”, não podendo ser um adúltero confesso com processo de assédio sexual.

    1. Novamente, raciocínio baseado em suposições. Há estados em que, sim, é costume referir-se às filhas como “sobrinhas” e há estados, sobretudo os do Norte, é que não é. Há diferenças profundas entre os usos e costumes das lojas e dos maçons do norte e do sul nos EUA. Quanto a haver fotos de Bryant de avental. Há maçons – e há lojas – nas quais a discrição em fotos em valorizada, e outras em que não. Só há uma foto em Shaq deixou-se fotografar. E não há nenhuma de Bryant. Usar apenas uma foto para generalizar um raciocínio é apenas uma suposição sua. No mais, gosto do blog e divergências são normais entre maçons. Estou discordando de sua argumentação e das ideias manifestadas nesse post. Mas não discordo de você, como irmão inteligente que és, o que está demonstrado em outros posts. Mas espero que não incorras novamente no chamado “viés de confirmação” (confirmation bias), que pode ser uma das armadilhas psicológicas de uma eventual “fuga do arrependimento” (ainda que não me pareça que isto se aplica à sua resposta). Portanto, mantenho minha posição: não é possível afirmar que Bryant é maçom. Mas o raciocínio recíproco não é verdadeiro, pois também não é possível afirmar que ele não é (não há evidências claras para defender nenhuma das posições…). Espero ter sido transparente, justo e perfeito.

      Kennyo Ismail – Meu Ir. Marcelo, ao contrário do que afirma, há várias fotos de Shaq enquanto maçom e não apenas uma foto em que ele deixou-se fotografar. Ele inclusive participa de programas de TV algumas vezes usando anel maçônico e já falou mais de uma vez publicamente (e na TV) sobre sua condição de maçom. Ou seja, o que é fato para você, pode ser uma suposição; ao mesmo tempo que o que é uma suposição para você pode ser um fato. Isso se aplica a todos nós. E um fato é que estamos no século XXI e nenhuma pessoa famosa inicia na Maçonaria sem que o mundo maçônico inteiro saiba no mesmo dia. Foi assim, por exemplo, com Shaq. E sim, uma confissão de crime, mesmo que por estratégia de defesa e relações públicas, é um impedimento para iniciação. Enfim, um impedimento legal conforme as leis maçônicas é uma evidência clara. Assim como a ausência de qualquer registro de Bryant pelo menos perto de uma loja maçônica, mesmo que sempre seguido por paparazzi, também é uma evidência clara. Do contrário, se eu for seguir sua linha de raciocínio, seria impossível dizer que qualquer pessoa não é um maçom, porque é impossível provar que alguém não foi secretamente iniciado por um grupo de pouquíssimas pessoas que guardam esse segredo até a morte e, mesmo se a pessoa negar sua condição de maçom, ela poderia estar mentindo. Seguindo essa linha, é impossível dizer até que Hitler não era maçom. Por isso, sugiro que avalie se a sua linha de raciocínio não é um “viés de negação” de uma “fuga do arrependimento” por talvez ter divulgado a notícia falsa de que ele era maçom.

  6. Sr kennyo, os maçons preservam segredos, são discretos, e mantém juramentos. Por que quando um maçom morre, os irmãos divulgam seus dados, filiação, data de filiação, loja de iniciação, sem saber se esse era o desejo do falecido? E se o maçom falecido queria que sua participação continuasse anonima?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *