Publicado em

UMA STRIPPER NA MAÇONARIA???

Um vídeo tem se multiplicado na internet com imagens onde se vê uma mulher dançando em Loja Maçônica. Uma das versões que foi publicada com título em inglês é “Freemason “Ritual” Leaked Footage“, e há uma com o título em português: “Ritual Maçom c/ Sacerdotizas Stripers”.

As imagens têm colaborado para alimentar o fervor de fanáticos que postam comentários nos vídeos, acusando a Maçonaria de rituais satânicos de cunho sexual, e chamando a dançarina de “escrava sexual sacrificial” dos maçons, ou mesmo de “sacerdotisa” de rituais sexuais.

Porém, qualquer ser humano que utilizar um pouco de sua racionalidade ao assistir o vídeo, verá o quão absurda são essas interpretações.:

Os senhores que aparecem no vídeo não estão de avental, acessório cujo uso é obrigatório nos trabalhos em Loja Maçônica. Logo, não se trata de uma reunião ritualística, de uma cerimônia propriamente maçônica. Talvez uma reunião administrativa, pública, um seminário ou algo do gênero.

Veja também que os homens presentes não estão demonstrando qualquer prazer ou entusiasmo durante a apresentação, assistindo-a de forma respeitosa. Isso porque não se trata de uma stripper, como o título de alguns vídeos sugere, pois a mulher em momento algum tira a roupa. Trata-se de chair-dance, que, assim como pole-dance, é considerado e reconhecido como um exercício físico, um tipo de ginástica, não sexual e sim sensual. Para se ter uma ideia, há inclusive uma tentativa de transformar o pole-dance em modalidade olímpica.

Além disso, observe que nos primeiros segundos do vídeo aparece a imagem de outras mulheres, com outro tipo de vestimenta, realizando outro tipo de dança.

Logo, creio que o que se vê é uma apresentação de chair-dance em um evento aberto onde inclusive outros estilos de dança foram apresentados em uma Loja Maçônica. Algo que foi, de forma mal intencionada, totalmente retirado do seu contexto original, e divulgado como se os maçons fossem monstros satanistas que possuem escravas sexuais para sacrifícios.

Essas pessoas que divulgam esse vídeo e fazem tais comentários absurdos parecem não se importar com o fato de que acusam os homens e mulheres que aparecem no vídeo das piores coisas possíveis, esquecendo-se dos princípios de amor ao próximo, lei maior da fé que dizem professar.

34 comentários sobre “UMA STRIPPER NA MAÇONARIA???

  1. Não vejo nada ali além de dança!!! Isto é uma apresentação, assim como esta: http://www.youtube.com/watch?v=Ks4o9Cjff_U&feature=related.
    A diferença está na mentalidade de quem posta o vídeo.

    Kennyo Ismail – Você não vê uma escrava sexual que será sacrificada??? Eu também não!!! Será que somos nós os loucos? Ou apenas raciocinamos e não enxergamos satanás em tudo que vemos? Obrigado pelo comentário.

  2. O que podemos fazer a não ser rir dos comentários que esse tipo de video gera…

    Se bem que, se tivessem tais apresentações de dança em todas as seções, certas lojas bateriam recordes de frequencia!!!

    É meu irmão! É só rindo mesmo!

  3. Querido Ir.’. Kennyo
    Parabéns pelo post.
    Para as pessoas que insistem em manchar a imagem da nossa Ordem, um pingo é uma tempestade.
    Para nós, acostumados com os paramentos, disposições dos assentos e outras coisas, fica nítido que se trata de uma sessão píblica.
    E não tem jeito. Passaremos mais 1000 anos e os comentários serão sempre os mesmos.
    T.’.F.’.A.’.

  4. Seria interessante evitar este tipo de apresentação em Loja. A coisa tá ficando muito aberta e é nisso que dá. A internet é um ótimo instrumento, mas pode também significar duros golpes no sigilo maçonico como a toda a hora a gente vê por aí.

    Kennyo Ismail – Qual tipo de apresentação devemos evitar? Danças? É algo a refletir: devemos ou não abrir nossas portas a eventos da comunidade? Nosso sigilo deve ultrapassar os modos de reconhecimento e juramentos e alcançar nossos edifícios? Se fosse balé clássico, poderia? Até onde vai nosso “preciosismo” com a Ordem? Abrir as portas é mais benéfico ou maléfico para a imagem da Maçonaria? Essas são questões importantes que todos nós maçons deveríamos começar a refletir.

    1. O concordo com você, Kennyo Ismail, a maçonaria já é atacada abrindo as portas imagina se fechar de vez. É como sempre digo,” as pessoas gostam de julgar sem ter conhecimento do que estão falando”. Tomara que os crimes praticados pela internet sejam logo colocados no código penal, assim, esses fanáticos vão pensar duas vezes antes de publicar algo denegrindo instituições de respeito e de tamanha importância para sociedade como é a augusta ordem!

  5. Entretanto, parece-me que esse tipo de evento não se coaduna para ser desenvolvido em um templo ou sala de reuniões maçônicas. Seria muito mais prudente e conveniente a utilização de um auditorio comum (i.é, sem decorações maçônicas).

    Cordial T..F.A.

    Kleber

    Kennyo Ismail – Qual tipo de evento deve-se evitar? Danças? É algo a refletir: devemos ou não abrir nossas portas a eventos da comunidade? Nosso sigilo deve ultrapassar os modos de reconhecimento e juramentos e alcançar nossos edifícios? Se fosse balé clássico, poderia? Até onde vai nosso “preciosismo” com a Ordem? Abrir as portas é mais benéfico ou maléfico para a imagem da Maçonaria? Essas são questões importantes que todos nós maçons deveríamos começar a refletir. Realmente, nossa visão do local de reuniões, o “templo”, é muito diferente da visão anglo-saxã, a “sala da Loja”. Creio que não seja uma questão de certo ou errado, e sim de culturas e pontos-de-vista diferentes, que devem ser respeitados.

    1. Os maçons devem estar integrados à sociedade ondem vivem, sem dúvida. Entretanto, algumas atividades ficam mais adequadas se em salões outros que não o templo ou sala de reuniões maçônicas. É apenas uma questão de prudencia. Veja que no caso comentado, a repercursão negativa parece ter sido muito maior que a positiva. Então parece não valer a pena tal exposição.

      O espaço para reuniões ritualísticas tem funções e aplicações especificas. O mais natural é preserva-lo de certas exposições. Para o tip[o de apresentação exibida, poderia muito bem ter sido utilizado outro tipo de espaço. Veja que o, digamos, “detrator” foi um dos presentes… possívelmente convidado, familiar ou até mesmo um maçom…

      Como diz o Livro da Lei (dos Cristãos)… “tudo me é lícito fazer, mas nem tudo me convém.” – 1o. Co. 6:12

      Como reza o dito popular… “cautela e canjica não faz mal para ninguém…”

      Mas é apenas um simples ponto de vista, para expandir a análise do seu interessante post…

      T.F.A.

      Kleber

      Kennyo Ismail – Estimado Irmão Kleber, obrigado pela sua colaboração sobre o assunto. Devemos realmente refletir sobre isso. Esse é o raciocínio comum para nós, maçons brasileiros. Já maçons de outras terras compreendem que uma sala só é “maçônica” enquanto as Três Grandes Luzes encontram-se presentes e abertas. Realmente são diferentes culturas e pontos de vista. Obrigado mais uma vez.

      1. Aqui nos Estados Unidos temos Open House uma vez por ano, aonde a cmunidade pode conhecer as salas do templo, tirar algumas dúvidas. É uma maneira de fazer parte da comunidade e desmistificar algumas visões de pessoas a nosso respeito.
        Todos eventos não maçônicos, como teatros, danças e demais apresentações não são realizados dentro de salas de reunião em respeito aos trabalhos ali realizados. As salas de reunião são utilizadas para estudos, instruções e demais reuniões.
        Há diferença entre secreto e sigiloso! Hoje somos muito mais sigilosos e sim, temos que cuidar com que é divulgado sobre a ordem.
        Já temos muitas polêmicas nos envolvendo, e não são imagens como essa que nos farão ser respeitados. Maçons são conhecidos por discrição, e assim deve ser.
        Certo “preciosismo” é necessário, sem isso nunca seremos levados a sério.

        Kennyo Ismail – Fernando, obrigado pelo comentário. O choque inicial com as imagens é sempre o mesmo, mas quando se olha procurando algo errado, vê-se que não há nada “desrespeitoso” no que se vê. Você estando nos EUA, sabe que temos situações mais sérias para nos preocuparmos com nossa imagem, como é o caso dos Jesters. Creio que todos devemos refletir para formar nossas opiniões sobre o assunto, mas o motivo principal do post na verdade foi mostrar as acusações absurdas que alguns ignorantes e fanáticos são capazes de fazer com uma imagem retirada do contexto. Obrigado mais uma vez.

  6. Caríssimos IIr.’.
    Corroboro com o último comentário do Ir.’.Kennyo, quando ele cita que o nossas reuniões são válidas como ritualistaicas depois de todo o processo de abertura que conhecemos.Portanto, se não houver abertura não nos é obrigado seguir rituais, e a Arte (no qual inclui manifestções manifestações corporais como a dança) está presente em nossa Ordem.
    Entendo as opiniões dos IIr.’. que acreditam que esses tipos de eventos, abrem precedente para qualquer comentário mentiroso sobre a Ordem, mas temos que lembrar que somos livres de preconceitos e tolerantes.
    Espero não ter me alongado muito.
    T.’.F.’.A.’.

    1. Errata:
      – ritualísticas ao invés de ritualistaicas
      – manifestações em duplicata
      Obrigado.

  7. Pole dance sem o pole??
    Dança sensual sim, e é melhor gostar do que desprezar.

  8. A Dança da Garrafa também é dança. Bem como é o samba com as belas mulatas desta nossa terra. É expressão da cultura popular o rebolado das rainhas de bateria em trajes sumários? Sem dúvida!

    A dúvida é se cabe uma dança tão sensual, com trajes tão provocantes, em um local voltado para o esmero da alma.

    Para mim obviamente não cabe. Cada um que tenha a sua opinião.

    Não sou maçom, mas kardecista, só para deixar claro.

    Kennyo Ismail – Olá Marcos. Obrigado por contribuir com sua opinião.

  9. Não sou maçom, porém faço meus estudos n área do ocultismo e algo do gênero, porém acredito que os maçons devam se adequar a cultura de cada país/comunidade da qual fazem parte, e pelo que estudo sei que pra um maçom considerar o local “aberto ao sagrado” e o local ser considerado ritualístico certos procedimentos e condições devam ser tomadas e não sendo procedido dessa forma a sala nada mais é que um local comum , mas como disse anteriormente os maçons devem se adequar a certos costumes da população e não só do local que que ele se ambienta pois não é só para o brasileiro, acredito que ao ver uma filmagem de uma sala com as todos aqueles símbolos ritualísticos, três cadeiras isoladas de frente para todos e que possivelmente os respectivos senhores sentados nelas devam ser alto sacerdotes da loja maçônica qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo que seja de fora da maçonaria única coisa que passa pela cabeça dela é que realmente é um ritual maçon ou desculpem me o termo da palavra alguma “putaria demoníaca” praticada rotineiramente pelos maçons.
    Então acho que deveria sim ser feito esse tipo de movimento cultual em outro salão, principalmente pelo fato de toda loja ter seu local de festas, velório e afins, até mesmo porque é pequeno pensar em nível de comunidade hoje em dia no adventos da internet e de celulares com câmera , o que me faz pensar que é bem estranho sempre achei que a maçonaria assim como AMORC trabalharia o desenvolvimento mental e psíquico depois de uma mancada dessa nem sei mais.

    Kennyo Ismail – Frederico, obrigado pelo seu comentário. Maçonaria não faz parte do gênero ocultimo, e não possui sacerdotes. Para a maçonaria anglo-saxônica, o local de reunião não é um templo, não é sagrado. Apenas o altar quando montado é. Salões de festa de Lojas geralmente também têm símbolos maçônicos pintados ou publicados, o que implicaria no mesmo mal julgamento que você sugeriu. E em outros países, geralmente as Lojas não têm esses salões, tendo apenas a “sala da Loja”, que é o local das reuniões. Mais uma vez obrigado.

  10. Califórnia Dream Girls… As Lojas nos EUA estão há dezenas de anos luz na frente das lojas aqui do Brasil, mas não acho apropriado chamar de Respeitosa Loja essa do vídeo, pois alguns eventos não são apropriados para a maçonaria.
    Ah se fosse aqui… os Irmãos teriam sido expulsos no mínimo!

  11. O fato tem haver com danças artísticas, longe de ser rituais diabólicos.
    O texto explica bem isso. Grato pala elucidação.
    Obs. não sou maçom, mas respeito àqueles que o são.

  12. Uma dança bela e muito bem executada, todos eles assistindo tranquilos, sem nenhum objeto que demonstre qualquer execução de trabalho magístico e uma mulher muito bonita. Acredito que seja novamente um ataque das Igrejas Batistas e evangélicas que querem impor a virgindade moral ao qual foram submetidos e lavados a todos os outros homens e mulheres. Sempre me pergunto neste casos: Qual lugar é impróprio para assistir uma bela mulher realizando uma bela dança ? É apenas a projeção, o reflexo da aversão e o medo que as pessoas têm com a sexualidade, e principalmente no caso dos crentes, com a Deusa.

  13. Meu Irmão, boa tarde.
    Que surpresa né?! Só é uma pena que virou prato cheio para os profanos atacarem a Ordem, inclusive tive acesso ao vídeo por conta de divulgação má intencionada.
    Pelo menos para mim ficou claro que é um evento com diversas apresentações…
    Realmente os trabalhos não foram abertos, portanto não serei hipócrita; gostaria de assistir um evento desses, dotado de capacidade expressiva, pois aquele que admira a dança saberá observar a beleza da atriz. E não sejamos tolos, em tempos antigos diversos “oráculos” participavam de alegorias em Templos de diversas Ordens.
    Cabe a nós o bom julgamento.
    TFA

    Kennyo Ismail – Boas palavras, meu Irmão Galvão. Obrigado por comentar.

    1. Não sou integrante ativo da Maçonaria, porém tenho a honra de hoje prestar serviços aos meus irmãos na Ordem Demolay e pertenço a um capítulo que é patrocinado por uma Loja de grande importância no Estado de São Paulo.
      Concordo plenamente que este vídeo se tornou um prato cheio para profanos, porém acredito que uma manifestação artísticas do tipo não cabe a um templo do rito escocês, e sim a um salão social, como a prática de um esporte também não convém ao mesmo.
      Seria ligeira hipocrisia dos “tios” maçons apoiarem esse tipo de evento dentro de um templo e dizer aos membros da Ordem Demolay que devem ter respeito pelas coisas sagradas, fidelidade e pureza.
      Caso eu esteja dizendo alguma bobagem, por gentileza me corrija e eu farei sugestões as comissões de eventos do nosso capítulo que organizem eventos do tipo, pois seria no mínimo mais interessante do que a velha festa junina e os bingos do Capítulo.

      Kennyo Ismail – Sobrinho Haron, não se trata de um templo do Rito Escocês. Aliás, nem é um templo. É uma “lodge room”, ou seja, sala da Loja. Em algumas localidades é comum a Loja até alugar a sala da Loja para eventos.

    2. Também concordo contigo Caro Ir.’ Galvão. Toda esta polêmica negativa em relação a este vídeo, não deve causar-nos surpresa, pois bem sabemos, os profanos confundem cultura (o que não tem!) com putaria. No vídeo fica claro, pelos movimentos da dança, que não são dançarinas de cabaré. E mesmo se fossem dançarinas de cabaré, não estão cometendo nenhum crime. Por fim, não faltará aquele que tente achar pelo em ovo com a finalidade de tentar denegrir a Sublime Instituição, ainda mais nestes novos tempos de paranoia epidêmica. TFA

  14. Não sou maçom, portanto não entendo como funiciona uma reunião maçonica, mas deixarei minha opnião. Achei sim que foi apenas uma apresentção de dança, porém creio que não seja muito adequada para o local, local esses onde acontecem reuniões e debates sobre Deus e o amor ao proximo, da mesma forma como não acharia certo uma apresentação desse tipo em uma igreja catolica ou evangelica, num centro espirata ou num terrero de umbanda, um salão sagrado é um salão sagrado independente da religião, credo ou ceita.

  15. Caros Irmãos.
    Parabenizo o Sr. Guilherme por sua opinião acerca do local sagrado. Compartilho desse entendimento, vez que a Loja Maçônica é um local da busca de Deus e de desapego ao que não é sagrado.
    Acho que as lojas maçõnicas devem estar de portas abertas para a comunidade, afinal este é o lema da maçonaria – Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
    TFA

  16. Devo ser completamente maluco também, não vi nada de errado na dança da moça no vídeo. Acontece meus caros irmãos que quando certos “cultos monetários” começam a cair na mídia, qualquer coisa serve para tentar desfocar os holofortes. Ignoremos os menos providos de cérebro e sigamos em frente!

  17. Parabéns Tio,
    sou DeMolay e vejo o quanto a maçonaria sofre preconceito, agraço a ordem maçonica por tudo que faz a nós sobrinhos. E concordo contigo, a maçonaria deve ser diferente de outras instituições, como a igreja católica, que não se atualiza e tudo, por menor que seja a sensualidade, é visto como pecado. É apenas uma dança, só isso.

  18. Infelizmente a maioria das pessoas é assim mesmo!
    Elas não se dão ao trabalho de analisar, pensar, observar e até mesmo de pesquisar sobre o que estão vendo. É bem mais fácil se tornar uma "Maria vai com às outras" e criticar mesmo que erroneamente e ainda se contradizendo em suas respectivas religiões.

    TFA.´.

  19. Caro Ir.’.
    Parabens !
    Voce tem um endereco eletronico para que possa dialogar.
    TFA
    Senise

    Kennyo Ismail – Obrigado, meu Ir.´.. Meu e-mail é kennyoismail@www.noesquadro.com.br TFA.

  20. Amigo, a maçonaria tem alguma ligação com a skull and bones (aquela que a família bush faz parte) dos EUA?
    Obrigado.

    Kennyo Ismail – Não. Maçonaria é uma fraternidade de origem operativa, com surgimento inicial na Europa, enquanto a S&B é uma das centenas de fraternidades acadêmicas dos EUA. Sendo a Maçonaria muito mais ampla, mundial e mais antiga, ela pode ter servido de inspiração para alguns aspectos da S&B, assim como para várias outras fraternidades.

  21. A ignorância é um dos maiores males a humanidade.Sou cristão e sou totalmente a favor do conhecimento, esclarecimento e compreensão, devemos buscar eliminar toda forma de julgamento sem nenhum conhecimento, seja qual for a religião ou crença, errar é natural do ser humano mas devemos buscar conhecimento e compreensão, o q ñ significa q concordemos com tudo. Eliminemos guerras e conflitos imaginários e elevemos a sabedoria.

  22. gostei muito deste artigo a um pouco de tempo eu vim a frequenta uma igreja evangélica gosto da palavra de Deus mais odeio as mentiras que são proferidas lá falam e condenam sem conhecer

  23. Penso que a Ordem Maçônica é tão longeva e tão intocável justamente por sempre ter admitido todas as correntes de pensamento, agregando o que há de bom nelas, e isso faz a beleza da diversidade e a perenidade da Ordem. A Maçonaria nunca se nega a ninguém, nunca age no sentido de tolher ou negar esse ou aquele pensamento humano. O que é bom ficará, o que é ruim naturalmente será expurgado, assim a Ordem se pereniza e nunca ataca ninguém, nem nada. Apenas ouvimos calados e deixamos que a Natureza se encarregue de filtrar do tudo, apenas o que é bom. Ser maçom não é para todos.

  24. Fiquei surpresa ao descobrir hoje um comentário supostamente feito por mim neste site. De algum modo alguém acessou minha conta e publicou um comentário que nada tem a ver com minha opinião. Já tomei a providência de alterar minhas senhas. Peço desculpas sinceras pelo ocorrido.

  25. CONTRA FATOS NÃO TEM ARGUMENTAÇÃO !

  26. Simplesmente ridiculo e mentiroso.

    Igualmente surpreendente é a posição de alguns amados irmãos que parecem acreditar que se trata de algo veridico.

  27. as pessoas tendem a repudiar o que não conhecem. ps:não sou maçom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *