Publicado em

POR QUE OS APRENDIZES SE SENTAM NO NORTE?

Com exceção do Rito Brasileiro, que inverteu as posições do REAA, os Aprendizes se sentam na Coluna do Norte em todos os demais Ritos. Nos ritos de origem francesa (Escocês, Moderno e Adonhiramita), eles se sentam na última fila do Norte, enquanto que nos ritos de origem que podemos chamar de “anglo-saxônica” (Shroeder, York e rituais do Reino Unido como o de Emulação), eles se sentam na primeira fila do Norte.
Qual é o motivo para os Aprendizes se sentarem no Norte? Essa é uma pergunta muito comum em Loja e que costuma receber as mais variadas respostas, algumas totalmente sem nexo:
“Porque a pedra bruta está no lado ocidental do norte, e o Aprendiz é uma pedra bruta”.
“Porque o Aprendiz precisa ficar na Coluna da Força para ganhar força para o trabalho”.
“Porque o Aprendiz tem que ficar perto do Primeiro Vigilante, que o instrui”.
“Porque o Aprendiz tem que ficar de frente para o Segundo Vigilante, que é quem deve instruí-lo”.
Essas afirmações chamam a atenção para um outro ponto:
De onde tiraram que os Vigilantes são os responsáveis por instruir os Aprendizes e Companheiros? Existe alguma fala na Abertura e Encerramento dos trabalhos em que os Vigilantes assumem essa responsabilidade? As instruções obrigatórias desses graus, que constam nos Rituais, são feitas pelos Vigilantes?
Respostas: Não. Apenas em algumas das cerimônias inventadas de posse e nos Estatutos modernos das Obediências é que os Vigilantes “ganharam” essa responsabilidade. As instruções para Aprendizes e Companheiros não são presididas pelos Vigilantes. Elas são presididas pelo Venerável Mestre e apenas contam com a participação dos Vigilantes, assim como contam com outros Oficiais da Loja.
Você pode estar se perguntando agora: Então, por que diabos os Vigilantes são considerados responsáveis pela instrução de Aprendizes e Companheiros?
Simplesmente criou-se esse “hábito” por conta da equivocada interpretação de que os Vigilantes “governam” as colunas onde os Aprendizes e Companheiros estão sentados, então deveriam ser responsáveis por eles.
Os Vigilantes não são ritualisticamente os responsáveis pela formação dos Aprendizes e Companheiros, independente de ser o 1º Vigilante para os Aprendizes e o 2º Vigilante para os Companheiros, ou vice-versa. Na verdade, os Oficiais da Loja são responsáveis por instruir Aprendizes e Companheiros conforme as instruções do Ritual, e sob comando do Venerável Mestre. É dever ritualístico do Venerável Mestre, que é o Mestre da Loja, definir se eles estão preparados para subir mais um degrau. Isso não deveria ser responsabilidade dos Vigilantes, apesar de se terem criado esse costume e legislado em favor disso. As dúvidas que um Aprendiz ou Companheiro por ventura possam ter deveriam ser sanadas pelo seu padrinho, o Mestre Maçom responsável pelo seu ingresso na Loja. É para isso que servem padrinhos, para garantir a formação de seus afilhados!
Enfim, com base nessas observações, verifica-se que as respostas dadas sobre o Aprendiz no Norte que são relacionadas à instrução dos Vigilantes não correspondem com a verdade.
Quanto à reposta de que o Aprendiz fica na Coluna da Força para ganhar força para o trabalho, isso é uma ofensa para a inteligência de cada maçom. Substituiremos o maço e o cinzel por alteres, se assim for! O efeito será melhor para tal simbologia!
Já a afirmação de estar relacionado com a posição da pedra bruta em Loja também é ilógica. Afinal de contas, em alguns ritos a pedra bruta não fica na Coluna do Norte, enquanto que Aprendizes permanecem lá! Então, qual é o motivo?
É simples. A Loja possui 03 Luzes que a governam: Venerável Mestre, Primeiro Vigilante e Segundo Vigilante. Essas 03 Luzes ficam localizadas em 03 lados do templo: Oriente (VM), Ocidente (1º Vig) e Sul (2º Vig). Ora, o templo possui 04 lados, então um não possui Luz: o Norte! Por esse motivo, a Coluna do Norte é considerada o “lado escuro do templo”.
O Aprendiz até pouco tempo atrás era um candidato na escuridão, desejoso de receber a Luz. Seu lugar é no lado mais escuro do templo onde, simbolicamente, sua visão poderá se acostumar com a Luz que lhe é dada aos poucos. O Aprendiz está no hemisfério norte, enquanto o Sol está fazendo seu giro do Oriente para o Ocidente inclinado ao Sul, o que indica que o Aprendiz está no inverno do hemisfério norte, quando as noites são maiores que os dias, ou seja, a escuridão ainda prevalece sobre a luz do dia.
Isso está muito bem registrado nas instruções dos rituais mais antigos, mas se perdeu na evolução de muitos ritos e na constante “revisão” que quase todos sofrem constantemente.

48 comentários sobre “POR QUE OS APRENDIZES SE SENTAM NO NORTE?

  1. Três últimos parágrafos: perfeitos!

  2. Obrigado!!!

  3. São posts que no mínimo nos levam a refletir, e nos motivam a estudar. Meus sinceros parabéns!

    Na Cerimônia de Elevação, o VM indaga o 1V se o Aprendiz cumpriu seu tempo e está preparado para elevar, caso haja uma negativa o mesmo não elevaria, e por fim, vc complementa dizendo que o Aprendiz se senta na Coluna do Norte por questões simbólicas. Isto posto, podemos concluir que o Primeiro Vigilante, responsável pela Coluna do Norte tem o dever (obrigação é do VM, bem como, de todos os irmãos da Loja) de ensinar os que nessa coluna se sentam, ou não o seria?

    Na ótica cabalista, tem uma explicação plausível do porque o 1V ser o responsável de ensinar o AM.

    Mais me parece que se tudo isso fosse verídico, logo, entraria em atrito com sua repugnação da presente afirmação:
    ''Porque o Aprendiz tem que ficar perto do Primeiro Vigilante, que o instrui''

    Um …
    T F A

  4. Meu Irmão Rafhael,
    O que acontece é que essas "amarrações" dos Aprendizes com o 1o. Vig é típico do REAA "brasileiro", não ocorrendo na maioria dos outros Ritos.
    Há ainda uma interpretação de que o Aprendiz se senta no Nordeste porque antigamente havia-se costume de posicionar as pedras fundamentais no Nordeste dos canteiros de obras. Porém, é outra interpretação sem base sólida.

    TFA,
    Kennyo Ismail

  5. Confesso que antes não concordava, depois de ler um pouco mais, acabou por fazer mais sentido sua posição aludida no último parágrafo, e passo a concordar:

    '' Na Maçonaria, o norte tem sido apontado como o local da escuridão e, em obediência a este princípio, nenhuma luz simbólica foi permitida iluminar a parte do norte da Loja. O leste, então é na Maçonaria, o símbolo da ordem, e o norte, o símbolo do mundo profano. A pedra bruta é depositada no extremo noroeste da Loja, pois ela é o símbolo da POSIÇÃO do neófito… Do mundo profano ele acabou de emergir, portanto algumas de suas imperfeições ainda estão consigo…'' (The Symbolism Of Freemasonry – Alberte G. Mackey)

  6. Ainda tenho uma dúvida e gostaria saná-la por aqui , nas escolas de mistérios do Antigo Egito o aprendiz ficava durante três anos sem ter o uso da palavra , exatamente três anos como está inscrito no ritual de aprendiz do (REAA) , pergunto em que momento da história essa tradição foi quebrada?

    TFA

    Renato Augusto:.
    augustus

  7. Ir.'. Renato Augusto,
    Sobre as Escolas de Mistério do Antigo Egito, na minha opinião isso é suposição. Quiseram enxergar isso e pronto.
    O Ritual de Aprendiz do REAA também fala que o Aprendiz passava os três anos dentro do Templo, sem sair de lá nesse período. É evidente que tal costume não alcançou a Maçonaria Operativa, muito menos a Especulativa, ficando apenas na esfera simbólica.
    Seria difícil imaginar nos dias atuais alguém que se submeteria a isso: passar 03 anos dentro dum templo, sem poder sair, sem poder falar, só estudando. Até porque, convenhamos, o grau de Aprendiz Maçom não tem conteúdo o bastante para isso.

  8. Ir.: Kênio,
    Nem em todos os rituais, este registro se perdeu. No Rito Adonhiramita, esta pergunta, resposta e explicação sobre o lugar do aprendiz ser no norte (ou Setentrião, para usar a mesma palavra do rito) faz parte do ritual, e esta pergunta é feita pelo Ven.: ao 1º Vig.: e respondida em todas as seções. Aliás, a resposta dada é esta: Que o setentrião é a parte menos iluminada do templo, e etc…

    Kennyo Ismail – Irmão Alexandre, meu nome é “KENNYO”. Sem acento mesmo. Você está correto, e é por isso que o texto termina assim: “Isso está muito bem registrado nas instruções dos rituais mais antigos, mas se perdeu na evolução de muitos ritos e na constante “revisão” que quase todos sofrem constantemente.”O Adonhiramita é um dos “mais antigos”. E foi tomado o devido cuidado para registrar que a “inovação” não ocorreu em todos os rituais.

    1. Am.: Ir.: Kennio,
      Que falta de atenção a minha! Peço desculpas pela grafia errada de seu nome. Aliás, desculpas duplas, já que cometi o mesmo erro no comentário que fiz no texto sobre o pé esquerdo na maçonaria.
      Quanto à observação que fiz, esclareço que a intenção era apenas ilustrar a questão colocada pelo irmão no que tange a “…muitos ritos…” Mas tanto este quanto os vários outros textos que li são excelentes, e já marquei este site em “favoritos”.
      Parabéns!!!
      T.:F.:A.:

  9. Ir.’. Kennyo Ismail,
    Primeiramente, parabéns pelo excelente Blog, no qual, além de demonstra o quão é profundo o estudo a que se dedica, também alinhava críticas construtivas sobre errôneas interpretações históricas e ritualísticas, nunca se omitindo sobre incoerências externadas por IIr.’., Obediências, Potências, etc.
    Sobre o tema, peço que explique aqui, ou quem sabe em outra postagem, o porque da inversão das posições dos integrantes das colunas no Rito Brasileiro e ainda sobre as mudanças de lugar de “B” e “J” nos diversos ritos.
    T.’.F.’.A.’.
    Ricardo Lóes

    Kennyo Ismail – Ir.’. Ricardo,
    Tudo é uma questão de interpretação. Em Reis I, 7:21, está escrito que a da direita é a J e a da esquerda é a B. A interpretação dos ritualistas do Rito Brasileiro é a de que, levando as Colunas para dentro do templo e ao se olhar do Oriente para o Ocidente, para manter a posição escrita em Reis de direita e esquerda, deve-se inverte-las. Além disso, tem-se a questão do lugar do Aprendiz: os ritualistas do Rito Brasileiro, compreendendo que os Aprendizes originalmente sentam-se no Norte por ser o “lado escuro” da Loja, interpretaram que o Rito Brasileiro, por ter origem no Hemisfério Sul do mundo, tem como “lado escuro” o Sul, e não o Norte. Uma coisa acabou reforçando a outra, pois os Aprendizes e a Coluna B ficaram no lado Sul. TFA, Kennyo Ismail

    1. Ir.Kenio.
      Sem a intenção de corrigir, mas sim de complementar a explanação sobre o Rito Brasileiro, ainda podemos dizer sobre os candelabros de três pontas e as respectivas velas em cada altar dos Vig. e do Ven. a respeito da “quantidade de luz” em sessões do Grau de Ap.

  10. BOA NOITE, IRM.’. KENNYO ISMAIL.MINHA DÍVIDA REFERE-SE AO SEGUINTE FATO: PORQUE O 2º VIGILANTE ENCONTRA-SE NA COLUNA DO NORTE NO RITO BRASILEIRO, MESMA COLUNA ONDE SE ENCONTRAM OS APRENDIZES. ORA, SE ELES DEVEM SER INSTRUIDOS PELO VILIGANTE DA COLUNA, NA COLUNA DO NORTE, ONDE VIGORA A ESCURIDÃO NÃO SERIA O LUGAR DO 1º VIGILANTE? ATS. SDS. TFA. MAFC

    Kennyo Ismail – Ir.’. Marco Antônio, um entendimento muito aceitável atualmente é de que os ritualistas do Rito Brasileiro, compreendendo que os Aprendizes originalmente sentam-se no Norte por ser o “lado escuro” da Loja, interpretaram que o Rito Brasileiro, por ter origem no Hemisfério Sul do mundo, tem como “lado escuro” o Sul, e não o Norte. Uma coisa acabou reforçando a outra, pois os Aprendizes e a Coluna B ficaram no lado Sul (inversão das Colunas). TFA, Kennyo Ismail

    1. Desculpe-me o comentário que fiz seria para comentar um questionamento mais abaixo

  11. Sempre pensei no templo como um mapa do hemisfério norte (onde nasceu a Maçonaria) onde o Sul (Equador) é iluminado de forma mais “direta” do que o Norte (Ártico)… Mas essa visão do templo como um mapa do mundo todo e com o Norte do inverno ao meu ver fica até melhor (ou ao menos mais “universal”)… (Na primeira realmente se tornaria geograficamente estranho não fazer as mudanças que foram feitas no rito brasileiro, mas não sinto essa estranheza com a explicação dada pelo irmão)…

    Será que consegui explicar o meu raciocínio?

    Parabéns pelo blog!

  12. Achamos “Derrubando Mitos” muito sugestivo pois os mitos que não encerram ,em si mesmos,verdade apreciáveis ou nos estimula a buscar o sentido oculto de suas propugnações não têm como se sustentarem, por mero senso advinhatório.Lembramos do mito da “Geração Espontânea” ” que reinou de forma absoluta por muitas gerações,até que foi provado cientificamente que não tinha fundamentos.Igualmente a teoria da assepsia das mãos levou até o médico húngaro Semmelweis,o seu proponente, a ser internado como louco, porque ele afirmava que a maioria das mortes causadas ,por médicos ,nas parturientes eram devidos a falta de higiene .Os médicos não gostam de lavar as mãos.E ele preconizava o simples uso de hipoclorito de sódio para fezer a assepsia das mãos.Perdeu a condição de médico,foi internado e Morreu no hospício.Só foi reabilitado ,profissionalmente,quando um americano estudando questão semelhante chegou as mesmas conclusões.Nada é diferente em qualquer questão que envolva o ser humano.Têm aqueles que publicaram as suas deduções empíricas que prevalecem como dogma irremovíveis.Absoluto só o GADU.
    Parabéns pelo Blog e pela linha de pensamento e discordância. ”Só não peleia ,quem tá morto”
    TFA Adonhiramita
    JATeixeira
    Post Scriptum
    A propósito das colunas.
    Reis I, 7, 21:
    “Ergueu as colunas diante do pórtico do santuário; ergueu a coluna do lado direito*, à qual deu o nome de Jaquin; ergueu a coluna da esquerda e chamou-a Boaz”.
    * lado direito do Templo,não do observador(JAT)

  13. Tenho acompanhado e recomendado "No Esquadro" devido a qualidade dos seus textos. Parabéns!

  14. Muito claro e didático!!! Parabéns!

  15. Perfeito meu Irmão, jurisprudência não é cumprir Ritual!

  16. Gostei muito ; Parabéns.

  17. Olá, meu Ir.’. Kennyo Isamail.
    Parabéns pelo excelente blog.
    Sobre seu escrito: “Ora, o templo possui 04 lados, então um não possui Luz: o Norte! Por esse motivo, a Coluna do Norte é considerada o “lado escuro do templo”.”
    Lendo uma obra maçônica, percebi que a informação de lá confronta com a sua.
    Naquela, o lado escuro da Loja é o lado ocidente e que o lado norte (para o REAA) é o que possui menor incidência de luz.
    Isso porque o profano (neófito), na iniciação, está em trevas e entra pelo lado ausente de luz (ocidente). Após, iniciado, passa para o lado norte que possui menor incidência de luz, de acordo com o solstício (inclinação da Terra).
    Afinal, o Sol “caminha” do oriente para ocidente, sendo que o norte e o sul recebem luz, mesmo que, de acordo com a época do ano, com maior ou menor incidência de luz. Apenas para exemplificar: o oriente (Japão) recebe luz, enquanto no ocidente (Brasil) não recebe. Já no norte, EUA, e sul, Brasil, possuem luz ao mesmo tempo, mesmo que incidindo menor intensidade.
    Assim, o que é possível questionar nesse entendimento?
    Obrigado, TFA.

    Kennyo Ismail – Creio que cabem muitos questionamentos nesse entendimento. Acho muito complicado querer compreender esse simbolismo em Loja pelo movimento do Sol. Interpretar que o Oriente possui mais luz que o Ocidente é errado. Minha compreensão é a de que a “origem” da luz se dá no Oriente. Afinal de contas, o Oriente é mais iluminado que o Ocidente apenas na parte da manhã. O Ocidente é mais iluminado que o Oriente na parte da tarde. E o Norte e o Sul recebem basicamente a mesma iluminação, principalmente próximo ao Equinócio. Dessa forma, pelo movimento do Sol surgem várias “exceções” à regra conforme as horas do dia e as épocas do ano, tornando essa teoria falha… Já quando se leva à compreensão de que há três Luzes na Loja, representadas pelo VM e pelos Primeiro e Segundo Vigilantes, tendo o VM no Oriente, o Primeiro Vigilante no Ocidente e o Segundo Vigilante no Sul, o simbolismo da “pouca luz” no Norte fica mais evidente e não vejo muita margem a questionamentos. Por isso tendo a continuar concordando com os antigos estudiosos de nossa instituição, em vez das interpretações modernas mais “astrológicas”.

    1. è por isso que os trabalhos iniciam-se ao meio dia. Luz igual pra todos

  18. Parabéns muito interessante e didático .

  19. Parabéns pela perfeita observação, eu como aprendiz posso dizer que acabo de receber mais uma instrução de meu grau.

  20. obrigado pela instrução , como aprendiz , vinha me perguntado o que significa o meu lado realmente !!

  21. Uma nova aula todos dos dias. Muito obrigado!!!

  22. Parabéns pela Peça.
    Como sempre enfatizava um Ir.’. que já partiu para o Or.’. Eter.’. seremos sempre eternos AAprend.’.

    T.’.F.’.A.’.

  23. No Adonhiramita tem, mas não há. =)

  24. Essa instrução de fato enriquece o nosso saber de aprendiz, muito boa explanação

  25. Primeiramente não posso deixar de elogiar o valoroso Ir.’. pelo excelente trabalho. O motivo do meu comentário é uma dúvida que me ocorreu após ler um texto onde é relatada a mudança no posicionamento do triângulo do Ir.’. 2º Vig.’. (REAA). Nesse texto foi dito que o 2º Vig.’. ficava no Oc.’., assim como o 1º Vig.’., mas que por influência de outros rituais o seu lugar mudou para o Sul. Partindo dessa premissa, de que o 2º Vig.’. também ocupava o ocidente e somando-se à informação contida nesse texto, teríamos as 3 Luzes da Loja no Or.’. e no Oc.’., permanecendo assim o Norte e Sul sem nenhuma luz. Isso não seria incoerente com a tese apresentada? Por derradeiro peço desculpas se este conhecimento ainda não tiver no meu grau (sou Comp.’.). Obrigado! T.’.F.’.A.’.

    Kennyo Ismail – Prezado Ir.´. Anderson, você aparentemente está restringindo a visão ao REAA, enquanto que muitos símbolos e significados são originados de outros ritos e rituais, mais antigos. A posição mais antiga dos Vigilantes é a anglo-saxônica, com o VM no centro do Oriente, o Primeiro Vigilante no centro do Ocidente e o Segundo Vigilante no centro do Norte. Ou seja, apenas o Norte sem possuir luz. Daí a simbologia original do Aprendiz se sentar ao Norte. Havendo variações na posição dos Vigilantes nos ritos latinos, parte dessa simbologia é afetada com isso, surgindo então novas teorias para justificar a posição do Aprendiz.

  26. Muito obrigado Ir. Kennyo pelo seu trabalho, parabéns pela sua bondade em compartir seu aprendizado.
    Os responsáveis pelo aprendiz até o Grau de Mestre, deveria ser preocupação de seu padrinho, que melhor que outro Ir.
    Com um fraternal abraço.

  27. Excelente esclarecimento mano, mas isso ocorre no solstício de inverno para o hemisfério norte, e quando estivermos no solstício de inverno no hemisfério sul, ou seja, quando for verão no hemisferio norte? A abóbada celeste é sempre estática? As colunas gazem algumntipo de sombra e a sombra é sempre igual o ano inteiro?
    TFA.’.

    Kennyo Ismail – Estática no Solstício de Verão (Sul) e Inverno (Norte), ou seja, como alguns preferem dizer: São João Batista. Mas pessoalmente, a justificativa das Luzes da Loja (VM e Vigilantes) estarem em 03 lados e os Aprendizes estarem no outro “sem Luz”, presente em rituais antigos, para mim é o bastante.

  28. Parabéns pelos claros e objetivos esclarecimentos sobre o local dos AAp.’. em Loja!!!

  29. Boa noite IIR.’. Poderia alguém me esclarecer a parte que os IIR.’. VIGILANTES NÃO SÃO RESPONSAVEIS PELAS INSTRUÇÕES DOS AP.’. E COMP.’.SE ALGUEM PODER ME ESCLARECER AGRADEÇO POIS APRESENTAREI ESTE TEXTO NO TEMPO DE ESTUDO. DESDE DE JÁ AGRADEÇO.

    Kennyo Ismail – O esclarecimento sobre isso vem com a pergunta contrária… por qual razão os Vigilantes seriam responsáveis pelas instruções? Quando o VM pergunta aos Vigilantes na abertura dos trabalhos os seus deveres, algum deles diz que tem como dever instruir Aprendizes ou Companheiros? Sendo a Maçonaria uma escola de moralidade, se esse fosse mesmo um dever dos Vigilantes, não seria estranho tamanha omissão? Esse dever de instrução simplesmente não está previsto nas primeiras Constituições Maçônicas e nos primeiros rituais maçônicos. Aliás, nem nos atuais, de forma geral. A maioria dos maçons do mundo desconhece esse dever dado aos Vigilantes… eles foram instruídos enquanto Aprendizes e Companheiros pelos Mestres de suas Lojas, especialmente por seus padrinhos.

    1. Ir.’. Foi excelente a resposta mas no que o Ir.’. Poderia me dar a mas para pode responder alguma pergunta como de onde VC obteve está conclusão. Se o Ir.’. Poder me ajudar de novo AGRADEÇO.

      Kennyo Ismail – São inúmeras as fontes. Por exemplo, Albert Mackey, em “O Simbolismo da Maçonaria”, que ensina que “Na Maçonaria, o Norte tem sido apontado como o local da escuridão”.

  30. Bom dia meu Ir.’. Kennyo,

    É por demais saudável lermos textos que esclarecem dúvidas que, certamente, uma boa parcela do universo maçônico tem e muitas das vezes não sabe ou não interessa saber como esclarecer. Parabens pelas publicações.
    Meu Ir.’. aproveitando a oportunidade gostaria, se possível, que o Ir.’. me esclareça o seguinte: Ap.’. M.’. ou Comp.’. M.’., quando eventualmente ocupem cargo que fica no Or.’., por exemplo – Sec.’., 1º Diác.’. etc., ele pode subir ao Or.’. ou deve exercer o cargo no Oc.’.?. Aguardo sua resposta, pelo que antecipadamente agraqdeço.

    Carlindo
    Cadastro GLEMA:3929.

    Kennyo Ismail – Meu Ir.´. Carlindo, obrigado pelo apoio. Sobre a presença dos Aprendizes e Companheiros no Oriente quando ocupam cargos posicionados no mesmo, não há problema algum. TFA.

  31. uma valiosíssima peça de arquitetura! ótimas instruções seja para aprendiz, companheiro ou mestre. TFA.

  32. Muito interessante, principalmente os três últimos parágrafos.

  33. Ótima explicação sou Ap.’.M.’. Do O.’. de camaçari BA .

    Muito Boa a explicação gostaria muito de receber mais sobre este artigo. Email anselmocheff@bibigourmet.com

  34. Adorei esta aula
    Parabens

  35. Prezado irmão Kennyo Ismail.
    Parabéns pelos ensinamentos, são de grande valia.
    Quanto ao assunto dos Vigilantes estarem incumbidos de instruir os aprendizes e Companheiros, observei que no Ritual de Aprendiz – GOB – REAA consta na pág 18 o que segue:
    “Esta posição permite ao 1º Vig.’. observar todo o OC.’., que stá sob sua direção e orientação, e especificamente os CComp.’.,cuja instrução é de sua responsabilidade.”
    Peço sua ajuda de esclarecimento.
    Grato.

  36. Lie atentamente as perguntas e respostas gostei muito e mi interessei pelos assuntos.
    Fraternalmente Espedito Firmo de Andrade

  37. Gostaria de receber informações sobre acorda de 81 nos

  38. Prezado Ir. Kennyo.
    Tens conhecimento deste site: https://inpem.com.br/produto/cfm-modulo-6-porque-o-aprendiz-senta-se-ao-norte/ ?

    Percebi que o texto de apresentação do curso é idêntico ao desta postagem (com algumas mínimas alterações). Mas não tive acesso ao restante do conteúdo, pois precisaria comprá-lo.

    Pergunto para saber se o curso é comercializado com seu consentimento, e caso não seja, para alertá-lo da possível ocorrência de plágio.

    TFA

    Kennyo Ismail – Meu Ir. Luis Henrique, obrigado por informar. Infelizmente, parece ser mais um caso de plágio…

  39. Ir. Kennyo :
    Decorre das diversas intervenções dos amados IIr.:, que as Instruções do Grau, são de responsabilidade do VM.:, mas que no entanto é auxiliado pelos VVg.:, e outros oficiais. No entanto, talvez por alguma tradição, é costume passar aos Aprendizes trabalhos de pesquisas, relativos ao seu Grau, para melhor assimilarem os diversos ensinamentos. Após, é feita a apresentação “entre-colunas “, ou não. A solicitação dos trabalhos e outras orientações à respeito, é feita pelo 2o Vg.:, está correto este posicionamento?

    Kennyo Ismail – Em tudo o VM é auxiliado pelos Vigilantes e oficiais, e com as instruções não seria diferente. Já sobre instruções complementares e solicitação de trabalhos, há obediências que o 2o. Vigilante tem essa função e outras em que é o 1o. Vigilante. Como não é uma função ritualística e sim administrativa, cabe a obediência definir isso e não há certo e errado. Em algumas obediências estrangeiras, trabalha-se com sistema de Tutoria, por exemplo.

  40. Primeira vez que entro nesse site!
    Gostei muito!
    Gostaria de estar recebendo mais trabalhos e também todos os esclarecimentos possível!
    Kennyo lsmail meu ir.’. Muito bom seus esclarecimentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *