Publicado em

SOL & LUA NA MAÇONARIA

Arte: João Guilherme

O Sol e a Lua, geralmente presentes em cada lado da parede do Oriente e tendo entre eles o trono do Venerável Mestre, destacados também no Painel de Aprendiz Maçom, sempre foram alvos das “especulações” dos estudiosos maçons. Aliás, com tanta especulação sobre a simbologia maçônica, fica fácil compreender o verdadeiro significado do termo “Maçonaria Especulativa”! Encontra-se de tudo por aí: Conforme alguns estudiosos de plantão, aquele Sol simboliza Mitras, Invictus, Horus, Rá ou Osíris, Hélio ou Apolo, a masculinidade, a Luz da Iniciação ou o símbolo do Oriente. Já a Lua quarto-crescente seria o feminino, o segredo a ser revelado, a busca pela verdade, a palavra perdida e prestes a ser encontrada, ou até mesmo a ressurreição. Isso sem contar nas interpretações absurdas, que não merecem citação.

O fato que parece passar despercebido para muitos é que esse Sol e Lua são, na verdade, um único símbolo. A mais clara evidência disso é que, seja na parede do Oriente ou no Painel de Aprendiz, eles aparecem sempre juntos, em tamanhos iguais, na mesma altura e de lados opostos. Nunca se vê apenas um ou o outro, porque se trata de um símbolo só. Dessa forma, qualquer interpretação desses elementos realizada de forma separada já é um grande erro.
Temos no símbolo do Sol e Lua um dos símbolos mais antigos da Maçonaria. Quando relacionados, o Sol é o emblema do meio-dia enquanto que a Lua é o emblema da meia-noite, ou seja, o início e o término dos trabalhos de todo maçom. O Venerável Mestre, estando entre o Sol e a Lua, demonstra que comanda os trabalhos naquele período. Esse simbolismo é creditado a Zoroastro, conforme muitos Rituais denunciam. Zoroastro foi um importante profeta persa, considerado como um dos principais mestres dos Antigos Mistérios, chamado por muitos de “pai do dualismo” e tido como precursor de muitos pensamentos comuns entre as três vertentes religiosas de Abraão: Judaísmo, Cristianismo e Islamismo. A tradição diz que os trabalhos nos templos de Zoroastro ocorriam do meio-dia à meia-noite, e que sua filosofia tinha por base a cosmologia. O antagonismo do dia e da noite, da claridade e da escuridão, era visto na natureza e no bem e o mal, presentes em cada ser humano.
Por que a Lua quarto-crescente?
Porque a astronomia ensina que a Lua quarto-crescente nasce ao meio-dia e se põe exatamente à meia-noite. Assim, quando o Sol está em seu zênite, ao meio-dia em ponto, é quando a Lua quarto-crescente nasce, a qual se põe à meia-noite em ponto. A lua quarto-crescente, tão importante para os Persas seguidores de Zoroastro, atravessou os milênios, tornando-se emblema da cultura árabe.

Esse fato não deixa dúvidas de que o símbolo do Sol e Lua na Maçonaria é realmente símbolo “do meio-dia à meia-noite” e de nada mais, apesar das especulações.

14 comentários sobre “SOL & LUA NA MAÇONARIA

  1. Muito bom o artigo sobre o simbolo "sol e lua". TFA.

  2. Este trabalho me tirou as dúvidas em relação ao Sol e a lua como símbolos parabéns. Um TFA.

  3. um pescado conhece o outro de longe.
    somos poker!!!

  4. tirei as minhas duvidas parabéns!!!!!!!

  5. S.´.F.´.U.´.
    Obrigado pelo esclarecimento, gosto de ler os artigos no esquadro pq tem uma proximidade bem real da verdade.
    TFA!!!

  6. Gostei muito do eu trabalho. Continui assim
    Fralternalmente
    Rubem

  7. Kennyo,
    Você diz que o Sol&Lua é o simbolo do trabalho “do meio dia a meia noite”. E ainda afirma que “essa é a hora de trabalho de todo maçom”. De fato no REAA é dito isso, sobre essa hora de trabalho.
    Mas o que fica claro do Rito de York é que os trabalhos começam no amanhecer, pausam no meio-dia e se encerram ao anoitecer. Na melhor tradição judáica onde não se trabalha depois que o sol se poe.
    Sendo assim, como fica o simbolo Sol&Lua no rito de york se ele for “nada mais” do que a representação do “meio-dia à meia-noite”.

    Kennyo Ismail – Muito bem observado, Irmão Társis. O texto refere-se ao simbolismo nos Ritos Latinos. Veja a menção que se faz do Sol e da Lua na parede do Oriente e no Painel da Loja. Já no Rito de York, mais antigo e herdeiro da simbologia da Grande Loja dos Antigos, o Sol e a Lua tem significado diferente. Primeiramente, que naõ se trata da Lua quarto-crescente especificamente, e sim de qualquer Lua. Em segundo lugar, que o Sol e a Lua estão representados em Loja, juntamente com o VM, pelas três velas do Altar. Isso porque no Rito de York o Sol governa o dia e a Lua governa a noite, sendo que o VM deve governar com a mesma regularidade. Isso significa que o VM é o VM 24 horas por dia, durante todos os dias de sua gestão, podendo, inclusive, convocar os Irmãos à Loja extraordinariamente a qualquer dia e hora, e nem ele nem os Aprendizes devem se esquecer disso. Ainda, o Primeiro Diácono, como mensageiro do VM, tem o Sol como emblema, pois leva a luz do VM (sua mensagem) a qualquer parte da Loja. Ainda, que o Segundo Diácono é o reflexo do Primeiro Diácono, estando em lado oposto, sendo representado pela Lua, cuja Luz é reflexo do Sol. Isso é muito bem explicado pelo Irmão James Goss, que foi Grande Historiador da Grande Loja de Vermont.

  8. Vieram-me duas questões, as duas relacionada à astronomia.

    A primeira é mais um comentário sobre o horário de nascimento da Lua. Como sabemos, a terra é redonda e com isso a abóboda celeste vai ser vista de diferentes modos ao redor do planeta. Se pegarmos o momento 00:00pm, a Lua será vista em diferentes alturas (distancia do horizonte) dependendo da longitude que se encontra o observador no globo. Com isso, quero afirmar que, à meia noite de um dia de Lua quarto crescente, a Lua se encontrará em diferentes alturas, dependendo da distancia que o observador se encontra da linha do Equador. Ou seja, a Lua Quarto Crescente só nasce exatamente à meia noite em um ponto especifico do planeta, não em toda o lugar. Mas, ainda não descobri que lugar exato é este. (Suponho que seja o Lugar que nasceu o simbolo)

    O segundo comentário é mais uma dúvida. A fase quarto crescente da Lua é a fase que metade do disco lunar está sendo iluminada pelo Sol (ou seja, a quarta parte da Lua). E em todos os painéis e artes que vejo, a Lua ainda não chegou na metade, mas ainda está chegando lá, ou seja, ainda são “crescentes côncavas” e não “quarto crescentes”. Por que as Luas ilustradas ainda em fase côncava crescente são consideradas quarto crescentes?

    ps. Curiosidade. Dependendo do hemisfério que o observador se encontra, a Lua quarto crescente estará iluminada do lado esquerdo ou direito, respectivamente hemisfério norte e hemisfério sul.

    ps². É a primeira vez que comento neste blog. Parabéns e muito obrigado pelo esforço de todos vocês em compartilhar todo este conhecimento. Meus sinceros agradecimentos.

    Kennyo Ismail – Prezado Cayo, entendi seu raciocínio inicial. No entanto, você desconsiderou os fusos horários. Por conta deles, a lua quarto-crescente sempre “nasce” APROXIMADAMENTE ao meio-dia e “se põe” APROXIMADAMENTE à meia-noite. A variação no tempo por conta da distância da linha do equador é mínima. Sobre a questão de ser “quarto-crescente”, deve-se levar em consideração a intenção ilustrativa, que ressalta seu aspecto de convexidade da parte iluminada.

  9. Olá, gostei muito da sua matéria, mas fiquei com uma dúvida, eu tenho um colar, acredito eu que é feito de madeira, e nele tem um “pingente”, dentro a imagem de um Sol com seus “raios”, e uma Lua “encaixada” no Sol, não duas coisas separadas, mas uma coisa só. Esse símbolo tem o mesmo significado do da matéria acima, ou por ser diferente da imagem, ele pode ter um outro significado??

    Kennyo Ismail – Ele pode ter um significado diferente não tanto pelo design, mas principalmente pelo contexto em que esteja inserido. Um mesmo símbolo tem diferentes significados conforme época, cultura, regionalismo, instituição, etc. É como você perguntar sobre uma cruz suástica. Seu significado varia conforme o contexto em que foi empregado, que pode ser numa tribo indígena norte-americana, entre os astecas, junto aos celtas, na Grécia Antiga, no Budismo, no Hinduísmo e no Nazismo. Sem o contexto, não há como interpretar um símbolo.

  10. Meu caro Kennyo, é com muita satisfação que leio mais um texto seu. Mas uma dúvida foi lançada em L∴ e como não encontro resposta plausível, pergunto-lhe: há alguma diferença as figuras do Sol e da Lua serem representadas em algumas L∴ de modo personificado, com rostos e em outras de modo mais astronômico? Há alguma diferença real em termos de filosóficos ou mera convenção de L∴? Obrigado e T∴F∴A∴.

    Kennyo Ismail – Meu Irmão Wilton, mera liberdade artística. TFA.

  11. Muito bom.deveríamos ter mas informações sobre os símbolos maçonico

    1. apareceu um reflexo de lua na minha parede da sala o que significa?

      Kennyo Ismail – Significa que sua sala tem janela.

  12. Obrigado pelo texto e pelo conhecimento repassado.
    TFA. ‘.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *